SEMENTE E LAVRA

Ceres Marylise

À minha querida babá: mãe Ba

 

 

Cumpriu sua jornada sem queixar-se,

cruzou estradas coletando frutos,

foi engrenagem na fábrica do mundo.

 

 

Semente e lavra, amada na família,

foi-se para que não percebessem

que já não era imprescindível.

 

 

Já não precisavam dela para comer,

para ninar, para encobrir travessuras:

esgotada sua seiva, cansou-se de ser raiz.

 

 

Quis ser um pássaro ou uma estrela

e voou sem avisar, deixando a porta aberta,

como um convite ou uma despedida.

 

VOLTAR