Olhando para o céu que me cobre nesta noite,

procuro-te entre as estrelas que estão a piscar.

A saudade dói-me, qual golpes de um açoite.

Hoje e sempre jamais deixei de em ti pensar.

 

Como seria bom que aqui estivesses comigo

para este dia treze poder comemorar contigo.

Abraçar-te, acariciar teus cabelos brancos,

Ouvir de teus lábios aqueles conselhos francos.

 

Às vezes volto ao teu colo em meus sonhos.

Mas pela manhã, ao acordar, fico tristonho.

Tristonho ao encarar a cruel realidade

De não estares mais comigo de verdade.

 

Mãe, sinto muito tua definitiva ausência.

Cada dia que passa morro nessa carência.

Na minha derradeira hora, venha me buscar.

Agarrado à tua mão irei contigo, sem titubear!

 

E a você, meu amigo, que ainda goza de Sua companhia,

Não espere por intervalos para dizer de seu amor por Ela.

Diga-lhe sempre, até a exaustão, quão grande é sua alegria

Em tê-la por perto. O quanto isso torna sua vida mais bela!

 
Autor:

 

VOLTAR