Me
 
Cida Valadares

Me, que saudade esta que o meu peito corri
posto que sempre ser uma fogueira em chama.
Que, quanto mais sopro, faz doer, e di,
Abatendo-me, quase inerte , sobre minha cama.

Lembro-me, de nossos passeios, eu colhia flores
Para um sorriso, em tua face, ver nascer,
E os dias se enfeitavam de amores
Todos levados ao cu, para agradecer.

Quis Deus, porm, agraciar-me os dias
Fz-me me, o mais sublime dos presentes.
E ambas, frutificando nossas sementes,
Aos anjos entregamos nossas preces de alegrias.

Hoje meu corao cheio de saudade
sabe que vive tal qual fosse uma ilha
Chorando as dores desta infelicidade
De no ter me e... No ter mais filha!

03/05/2012
 
 
 

 

VOLTAR