Afago Materno

Jonas Rogério Sanches

 

Lembro as palavras de quando criança

Dona minha mãe brava com minhas lambanças

Mas carinho farto em seguida surgia

Amo seu afago ainda nos presentes dias

 

Lembro o olhar preocupado diante as dificuldades

Seus passos cansados e sua simplicidade

Seus olhos de anil distribuem doçura

Minha mãe qual flor de divina candura

 

Hoje ao meu lado de cabelos como paina

Semblante de esperança igual de antigamente

Mas as marcas da vida refletem os seus traços

Mulher de tanta fibra não demonstra seu cansaço

 

Mãe de todos os dias... Os felizes e os chorosos

Sempre pronta a tudo... Cedendo o seu colo

Mãe que eu amo tanto e sei que me ama

No seu coração possui a divina chama

 

Jonas Rogerio Sanches 

 

 
 
 
 

Créditos:

Tube: Marcio C

formatação e arte:

Edilson Menezes/Edmen

 

 

VOLTAR